web analytics
Área CientíficaEm destaque

Diretrizes das Doenças Tireoidianas

By 11 de abril de 2017 julho 15th, 2020 No Comments

Um dos assuntos discutidos com frequência pelos endocrinologistas durante congressos, simpósios, etc refere-se às diretrizes dos tratamentos e diagnósticos das doenças tireoidianas. Essas diretrizes são guias que ajudam os especialistas na prática clínica e que passam por constante revisão ao longo dos anos. A atualização mais recente na área foi a da American Thyroid Association (ATA), que apresenta recomendações sobre doenças da tireoide na gravidez.

O Dr. Mario Vaisman, membro da diretoria do Departamento de Tireoide, explicou que as diretrizes são especificas para cada tema e que não há uma periodicidade pré-determinada para a revisão delas. “A atualização depende, fundamentalmente, das Sociedades avaliarem que a conduta está defasada, precisando de ajustes à luz das novas descobertas tanto no campo diagnóstico como terapêutico”.

A partir deste consenso, as Sociedades indicam um grupo de especialistas que tem como função redigir essa nova versão da diretriz. Segundo o médico, a literatura é revisada, os artigos mais relevantes são selecionados para um rigoroso critério de avaliação e, ao longo das reuniões, os tópicos que serão abordados e modificados são definidos. “Após uma primeira versão, submete-se a apreciação de um grupo maior, para críticas e sugestões de aprimoramento. Assim vai se construindo um consenso até a versão final que então será enviada para publicação”, disse o endocrinologista.

As atualizações mais recentes das diretrizes das doenças tireoidianas estão disponíveis no site do Departamento na página Consensos em Tireoide. Dentre os temas revisados estão:

  • Hipertireoidismo: Possui 53 recomendações sobre diagnóstico e tratamento, incluindo investigação etiológica, terapia com drogas antitireoidianas, iodo radioativo e cirurgia;
  • Hipotireoidismo: Apresenta questionamentos relacionados ao diagnóstico, triagem e tratamento dessa disfunção na população adulta e, especificamente, em mulheres grávidas. Foram elaboradas 26 recomendações sobre o tema;
  • Hipotireoidismo Subclínico em adultos: Aborda a definição e diagnóstico, história natural, significado clínico, tratamento e gestação, resultando em 29 recomendações para a abordagem clínica do paciente adulto;
  • Hipotireoidismo Congênito: Destaca o que é, suas causas, diagnóstico, a triagem e o tratamento desta disfunção;
  • Carcinoma medular da tireoide: Possui 32 recomendações que orientam sobre diagnóstico clínico e molecular, o tratamento cirúrgico inicial, o manejo pós-operatório e as opções terapêuticas para a doença metastática;
  • Nódulos tireoidianos e câncer diferenciado da tireoide: Destaca os avanços diagnósticos e terapêuticos que os participantes, de diferentes Centros Universitários do Brasil, consideram mais relevantes para prática clínica.
  • Testes de função tireoidiana na prática clínica: Discute as principais armadilhas e interferências relacionadas ao uso cotidiano desses testes, além de apresentar recomendações para otimizar a utilização dessas ferramentas diagnósticas na prática clínica;