web analytics
Em destaqueEventos Científicos

Relação do Hipertireoidismo Subclínico com a Doença Cardiovascular

By 2 de maio de 2009 julho 8th, 2020 No Comments

Flavia Garcia, Gramado, RS

doença cardiovascular é a principal causa de morte prematura no Brasil, com base nos dados do Ministério da Saúde. O Dr. José Sgarbi, da Universidade de Marília, em São Paulo, é pesquisador da relação do hipertireoidismo subclínico com a doença cardiovascular e apresentou dados de seu estudo e das poucas pesquisas publicadas na literatura.

Sendo o hipertireoidismo subclínico a disfunção mais frequente relacionada à tireoide, o Dr. Sgarbi questionou os efeitos cardíacos e anormalidades de pressão arterial relacionadas. Apresentando resultados de estudos internacionais, o especialista concluiu que existem pequenas alterações cardiovasculares, sendo a fibrilação atrial a evidência mais consistente dos efeitos cardiovasculares em pacientes com hipertireoidismo subclínico. O especialista afirmou ainda que não há diferença entre os índices de pressão sistólica ou diastólica, quando comparados os pacientes com hipotireoidismo e os eutireoideos.

“Ainda não há dados suficientes que mostrem a relação entre a doença subclínica e a taxa de mortalidade por doenças cardiovasculares. Os poucos estudos existentes são controversos”, informou o endocrinologista. Por este motivo, a taxa de mortalidade não deve ser utilizada como condição para o tratamento dos pacientes. Entretanto, ele completa que “o tratamento precoce destes indivíduos pode interromper uma progressão para uma doença cardíaca mais avançada”.

Em relação ao tratamento do hipotireoidismo subclínico, o Dr. Sgarbi lembrou que não existe nenhum estudo randomizado, publicado, que fale a respeito de tratar ou não esta disfunção. Desta forma, também não há consenso e o tratamento destes pacientes fica a cargo da decisão de cada médico ou grupo.

Para finalizar, o Dr. Sgarbi afirmou que “a doença subclínica foi uma causa independente para a mortalidade dos pacientes e que estes casos mostram a importância de uma estratégia mais eficiente para o tratamento precoce”.

O LATS 2009 reuniu os principais especialistas em tireoide, de 30 de abril a 3 de maio, no Hotel Serrano, em Gramado, Rio Grande do Sul (Brasil). O evento foi presidido pela Dra. Ana Luiza Maia.