web analytics
Em destaquePara o Público

Principais Exames da Tireoide

By 5 de fevereiro de 2016 julho 13th, 2020 No Comments

Você sabe quais são os exames necessários para detectar as doenças da tireoide?

Há atualmente vários exames de identificação das doenças tireoidianas. Alguns mais específicos, usados apenas em determinados casos, e outros que são essenciais para detectar os problemas na glândula.

A aplicação dos mesmos é continuamente debatida e as condutas para o diagnóstico estão sempre sendo aperfeiçoados através das observações dos profissionais e reunidos em consensos médicos. Esses consensos são guias para orientação não só do diagnóstico do paciente como de todo o desenvolvimento do tratamento.

Nos consensos atuais do Departamento de Tireoide da SBEM, o exame inicial para identificar as doenças relacionadas ao funcionamento tireoidiano é a dosagem do hormônio tireoestimulante (TSH).

Conhecendo os principais exames

– Dosagem do TSH: É o principal exame para o diagnóstico do hipotireoidismo e hipertireoidismo. Os valores normais de referência diferem de acordo com a faixa etária e presença ou não de gestação. Recomenda-se a dosagem em pacientes com suspeita ou risco para hipo ou hipertireoidismo além de se recomendar o rastreio a cada cinco anos a partir dos 35 anos.

Não necessariamente um TSH alterado reflete a presença de doença tiroeidiana. Em algumas situações ele se eleva temporariamente, retornando para os seus valores normais em determinado período. Assim, é necessário realizar nova coleta em um intervalo de três a seis meses, acompanhado de dosagem T4 livre.

– T4 livre: Assim como o TSH, o T4 livre auxilia no diagnóstico do hiper e hipotireoidismo. Caso haja discordância nos resultados de T4 livre uma investigação pelo especialista é recomendada.

– Dosagem do T3 total e/ou livre: Em conjunto com a interpretação do T4 livre, é um importante exame que ajuda no diagnóstico e seguimento do tratamento do HIPERTIREOIDISMO. Não é adequado para detectar o HIPOTIREOIDISMO.

– Anticorpos Antiperoxidase (Anti TPO), Anticorpos Antitireoglobulina (Anti-Tg), Anticorpos Anti-receptores de TSH (TRAb): Detectam doenças tireoidianas auto-imunes (DTA) como Doença de Graves e Tireoide de Hashimoto. Essas doenças são as causa mais comuns de hipo e hipertireoidismo.

– Ultrassonografia, Punção Aspirativa por Agulha Fina e Biópsia: Auxílio na identificação da natureza do nódulo de tireoidie – benigno ou maligno. A ultrassonografia também é útil também para indicar a necessidade e orientar a punção aspirativa por agulha fina, método padrão ouro para esclarecimento da natureza dos nódulos suspeitos.

– Triagem Neonatal (Teste do Pezinho): Deve ser realizada no recém-nascido entre o 3° e 6° dia de vida. O teste consiste na dosagem do TSH e/ou T4 total (T4T) em amostra de sangue seco em papel de filtro retiradas do calcanhar do bebê. É recomendado um segundo teste confirmatório, que deve ocorrer entre a primeira e segunda semana de vida.

Entendendo os consensos médicos

De acordo com o Departamento de Tireoide da SBEM, os consensos médicos ajudam na condução prática dos profissionais nos cuidados com o paciente. Eles foram elaborados pensando nas populações em situações comuns. Devem ser interpretados e aplicados com bom senso, levando em consideração tudo o que o envolve: particularidade de cada caso, oferta de exames e profissionais no meio em que vivemos, as preferências do paciente e a experiência de cada profissional.

Tudo isso é analisado e elaborado para tentar melhorar o diagnóstico, os tratamentos e auxiliar nos exames a serem realizados.