web analytics
Em destaqueEventos Científicos

A Formação dos Cirurgiões da Tireoide

By 30 de abril de 2009 julho 8th, 2020 No Comments

Flavia Garcia, de Gramado, RS

O Dr. Lenine Garcia Brandão deu início à sua palestra, no LATS 2009, afirmando que o cirurgião de cabeça e pescoço trabalha com atenção nas complicações. Segundo ele, vários autores mostram que o número de complicações pós-cirúrgicas seria o parâmetro indicativo da experiência do cirurgião. Entretanto, mostrou resultados de dois trabalhos nos quais não há diferença estatística significativa entre o staff dos cirurgiões e os residentes.

Quem está hábil para fazer a cirurgia?

As cirurgias da tireoide são, em geral, dessecativas devido à necessidade de não lesar nenhuma outra área e, por este motivo, o Dr. Lenine afirma que a experiência do cirurgião é o que vai determinar o não aparecimento das complicações. “Quanto mais grave for a situação do paciente, maior a necessidade da experiência do especialista, mas isso não garante que não terá complicações”, afirmou.

Outro ponto lembrado pelo Dr. Lenine foi que quanto maior a extensão do bócio, maior a necessidade da extensão da tireoidectomia. Porém, há uma preocupação, cada vez maior, quanto à questão da estética pós-operatória e, para isso, o médico mostrou alguns cuidados.

No serviço do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, do qual o Dr. Lenine faz parte, o residente faz, em média, 50 tireoidectomias, durante seu curso. Também a respeito da FMUSP, o especialista lembrou que, já na graduação, o aluno passa por seis períodos de seis horas no aprendizado e acompanhamento da cirurgia.

Outras formas de aprendizado apresentadas por ele foram os cursos de pós-graduação e a participação em congressos, seminários e cursos específicos práticos.

Quando fazer a tireoidectomia videoassistida

Em complemento à apresentação anterior, o Dr. Erivelto Volpi falou sobre as tireoidectomias minimamente invasivas, realizadas com o apoio de microcâmeras. Segundo ele, este tipo de cirurgia representa “o estado da arte para os pacientes”, pois deixam cicatrizes bem reduzidas.

Entretanto, a tireoidectomia videoassistida não é indicada para todos os casos. O especialista em cirurgia de cabeça e pescoço afirmou que apenas pacientes com tireoide de até 7cm de altura, com bócios de até 4cm de diâmetro podem ser submetidos a este tipo de cirurgia.

O LATS 2009 reuniu os principais especialistas em tireoide, de 30 de abril a 3 de maio, no Hotel Serrano, em Gramado, Rio Grande do Sul (Brasil). O evento foi presidido pela Dra. Ana Luiza Maia.