SBEM
Departamento de Tireóide

Departamento de Tireoide
da Sociedade Brasileira
de Endocrinologia e Metabologia

Destaques

Notícias

Dia 25 de Maio é o Dia Internacional da Tireoide

Presidente do Departamento de Tireoide, Dra. Carmem Cabanelas, envia mensagem pelo Dia Internacional da Tireoide. O Departamento realizou diversas ações este ano, incluindo as redes sociais, como Facebook e Youtube.

Leia Mais

Para Público

Disciplina Controla Hipotireoidismo

Melq Ferreira é preparador físico de atletas de surf e personal trainer, na cidade de Fortaleza (CE). Ele tem 41 anos e descobriu um bócio nodular na tireoide, aos 20. Na época, submeteu-se à cirurgia para retirada do bócio e, desde então, segue o tratamento para o hipotireoidismo.

Leia Mais

Para Público

Vencendo o Câncer na Tireoide

Com apenas 12 anos, a nadadora do juvenil do Flamengo, Giovanna Pannain, foi vitíma de um Câncer na Tireoide. Através de uma cirurgia, tratamentos e força de vonta a jovem superou a fase e é exemplo de esforço e persitência. Confira a matéria. 

Leia Mais

Notícias

Dia Internacional da Tireoide

O dia 25 de maio é o “Dia Internacional da Tireoide”. Desde 2009 são organizadas campanhas informativas, por diferentes sociedades médicas e não médicas, com o objetivo de orientar pacientes e familiares sobre as doenças tireoidianas. A campanha nacional deste ano, escolhida pelo Departamento de Tireoide da SBEM, tem como tema Tireoide e Esportes. Folhetos, vídeos e mensagens sobre o tema estão sendo publicados nas redes sociais.

Leia Mais

Eventos

<      >

EBT 2010

05/06/2010 Workshop: Pesquisa em Tireoide

A ideia central do Workshop Pesquisa em Tireoide, que está em sua segunda edição, foi abordar alguns aspectos básicos, e fundamentais, para aqueles alunos, que estejam trabalhando em tireoide na graduação e iniciação científica e, também, os pós-graduandos.

O workshop foi dividido em duas etapas. Na primeira parte, estiveram à frente da organização da atividade os doutores Janete Maria Cerruti, Ana Luiza Maia e Magnus R. Dias da Silva. A segunda etapa, com foco na medicina baseada em evidências e as diretrizes, a coordenação ficou a cargo dos doutores: Wanderley Bernardo (da AMB), Maria Helena Senger e José Augusto Sgarbi.

Ética e Perspectivas

Segundo a Dra. Ana Luiza, a programação foi pensada para um público selecionado que acompanhou novidades desde as pesquisas em células-tronco, como controvérsias e o que existe de realidade na área, até a questão da medicina baseada em evidências.

“Um ponto muito importante que discutimos foi a interação da ética e os seus aspectos legais, com as fronteiras do conhecimento que estamos alcançando na ciência”, disse a Dra. Ana Luiza. A endocrinologista disse que a advogada, Dra. Márcia Santana Fernandes, especialista e com pós-graduação nesta área, foi convidada para explicar sobre a bioética e os novos desafios que vêm pela frente.

Entre as dúvidas dos médicos estão: quais os aspectos legais de coletar tecido humano para armazenamento; como lidar com dados que são obtidos em bancos biológicos; quais os pontos a serem observados na lei de biossegurança, aprovada no Congresso Nacional; e a regulamentação das clínicas de fertilidade no país.

“Discutimos a nossa responsabilidade sobre os dados divulgados em trabalhos de pesquisa”, enfatizou a Dra. Ana Maria.

Endocrinologia Baseada em Evidências

Na segunda etapa, os debates, segundo a Dra. Ana Luiza Maia, enfocaram, entre outros pontos, o poder de evidência de acordo com o desenho do estudo. “É interessante observar o que cada desenho de estudo permite dizer. É preciso ter cuidado com a avaliação dos resultados finais. Precisamos passar como fazer isso para a geração que está se formando”.

Para a Dra. Ana Luiza, utilizar melhor os recursos e como deve ser a relação entre o médico e a indústria farmacêutica fazem parte do que os jovens precisam entender e assimilar.

Outro tópico importante, mencionado pela endocrinologista, foi sobre a apresentação do Dr. Wanderley sobre como filtrar melhor as pesquisas na internet. “Ele brincou dizendo que não há problema para que o médico, entre um paciente e outro, leia uns 200 novos artigos publicados. Por isso, esse debate para entender melhor como selecionar melhor o que irá ler foi essencial”, disse a Dra. Ana Luiza.

Foi enfatizado que depois da filtragem, o censo crítico é fundamental para uma seleção adequada.  “A decisão final está sempre ligada ao seu poder de análise e sua capacidade crítica e é isso que queremos transmitir na formação dessa nova geração”.

imprimaImprima     envieEnvie por Email       Compartilhe: Delicious Delicious  google Google

Tópicos Relacionados

EBT 2010 Notícias 14 EBT Encontro Brasileiro de Tireoide pesquisa medicina baseada em evidências ética eventos

Topo Volta  © 2010 Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia - SBEM