SBEM
Departamento de Tireóide

Departamento de Tireoide
da Sociedade Brasileira
de Endocrinologia e Metabologia

Destaques

Notícias

Nova Diretoria Assume em Janeiro

Durante o 31º CBEM, foram realizadas as eleições para a gestão 2015/2016 para a Diretoria da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), bem como seu Conselho Fiscal e Departamentos. À frente do Departamento de Tireoide estará a Dra. Gisah Amaral (foto). Confira os outros integrantes da chapa.

Leia Mais

10 Coisas Sobre Tireoide

Com forma bem parecida com a de uma borboleta, a glândula tireoide é localizada na parte anterior do pescoço. Quando ela não funciona de maneira correta, pode liberar hormônios em quantidade insuficiente, causando o hipotireoidismo,  ou em excesso, ocasionando o hipertireoidismo. Confira as 10 coisas que você precisa saber sobre tireoide.

Leia Mais

Tireoide no CBEM 2014

A trigésima primeira edição do Congresso Brasileiro de Endocrinologia e Metabologia aconteceu em Curitiba (PR), entre os dias 5 e 9 de setembro. O CBEM 2014 reuniu 4 mil participantes. Na ocasião, houve, ainda, a eleição para a Diretoria da SBEM, Conselho Fiscal e Departamentos para a gestão 2015/2016.

Leia Mais

Os Atletas e as DisfunçõesTireoidianas

Em ano de Copa do Mundo os olhares de diversas pessoas no planeta estão voltados para diversos jogadores em nosso país. Contudo, bate a dúvida: será que atetlas com disfunções tireoidianas podem participar de competições? O Dr. Mario Vaisman fala sobre o assunto e revela alguns mitos. Confira o vídeo. 

Leia Mais

Notícias

Resultados do Dia Internacional da Tireoide

Este ano, o Departamento de Tireoide da SBEM organizou uma importante campanha pelo Dia Internacional da Tireoide. O trabalho foi realizado nos meses de abril e maio. Veja alguns resultados alcançados.

Leia Mais

Eventos

<      >

Para Público

04/05/2011 Perguntas e Respostas: Cisto

NovoImagem Nodular

Nunca tive alterações na tireoide e ao fazer um check up (ultrassom) descobri um nodulo medindo 9x7x6mm, (imagem nodular hipoecogênica de limtes definidos, halo necóico com pequeno ponto ecogênico na sua periferia, vasculaização periférica ao estudo doppler localizada no terço médio do lobo direito, podendo estar relacionado a nódulo sólido ou a cisto com conteudo espesso). Meu exames de sangue TSH, T3 e T4 estão normais. (Andréia)

Resposta da Dra. Glaucia Mazeto: O ponto hiperecóico poderia representar microcalcificação. Considerando isto e a falta de definição quanto a nódulo sólido ou cístico, o endocrinologista deveria ser contactado para avaliação da necessidade de punção aspirativa por agulha fina nodular

NovoTumor de Hürthle
Fui diagnosticado com tumor de Hürthle na tireoide por exame de punção aspirativa. Gostaria de indicação de centros de referências no Brasil para conduzir investigação adicional, visando conhecer melhor minhas chances de ter carcinoma ou adenoma e, com isso, definir a validade e de ser submetido a intervencao cirurgica e, sendo o caso, a extensão da mesma. (José)

Resposta da Dra. Glaucia Mazeto: Quando a punção aspirativa por agulha fina de nódulo da tireóide evidencia tumor de Hürthle, a forma mais efetiva de se obter o diagnóstico definitivo é por meio da cirurgia (tireoidectomia), com análise histológica do material. O ideal é que estes tratamentos sejam realizados o mais próximo possível do domícílio do paciente. Não foi fornecido a cidade ou o estado deste paciente em particular. Assim, serviços que contam com cirurgiões de cabeça e pescoço, com experiência neste tipo de cirurgia, como, por exemplo, os hospitais públicos ligados às grandes universidades, poderiam representar boas opções para tal tratamento.

Informações
Gostaria de mais informações sobre cistos tireoidianos. (Anna Maria)

Resposta da Dra. Glaucia Mazeto: Os cistos da glândula tireoidea são cavidades presentes no tecido glandular, normalmente, repletas de um gel chamado colóide. Eles podem ser freqüentes. Muitas das vezes, não são sequer diagnosticados e, quando pequenos, podem desaparecer, provavelmente devido à reabsorção espontânea. Quando maiores, devem ser puncionados com os objetivos de diagnóstico e esvaziamento. A cirurgia pode ser necessária em casos diagnosticados como malignos ou suspeitos ou ainda naqueles cistos que recidivam após o esvaziamento.

Descobri faz pouco tempo que estou com tiroide e no meu exame de ultrasson deu um cisto de um centimetro,mais venho tendo uma tosse com esgasgo como se tivesse algo em minha garganta,isso e normal. (Alessandra)

Resposta da Dra. Glaucia Mazeto: A tireóide é uma glândula endócrina que fica na região anterior do pescoço e que é responsável pela produção dos hormônios tireoidianos. Estes hormônios são muito importantes para o funcionamento de todos os sistemas e aparelhos corpóreos. Assim, o normal é que todos tenhamos tireóide. Algumas vezes, surgem cistos na tireóide que devem ser avaliados e acompanhados por médico endocrinologista, o qual decidirá sobre a necessidade ou não de outros exames, particularmente com o relato de tosse e engasgo.

Nódulos
Fiz uma ultrassonografia na tireóide e o resultado foi o seguinte: formação cístina hiperocogênica no lado esquerdo. Podiam me explicar o diagnóstico? Na realidade, no ano passado, tive um diagnóstico meio parecido,  fiz uma punção e graças a Deus não deu nada sério. (Flávia)

Resposta da Dra. Glaucia Mazeto: Os cistos puros costumam ser descritos, à ultrassonografia, como anecóicos. No caso, foi citado o termo “hiperecogênica”. Haveria uma parte sólida no nódulo? Seria interessante que outras características do nódulo, ao exame de ultrassom, fossem também descritas, tais como dimensões, presença ou não de calcificações, limites, vascularização, entre outras. Assim, creio que seria interessante conversar com seu endocrinologista assistente para ver se haveria a necessidade de repetir o exame para que estas características fossem descritas. 

Remoção e inchaço
Fiz a remoção total de tireoide há três meses pois estava com câncer. Tinha dois nódulos. Fiz a iodoterapia há dois meses. Comecei a tomar o hormônio, mas ainda sinto muito inchaço pelo corpo, principalmente na língua e garganta; dores nas articulações e muitos calores. Comecei a tomar
hormônio aos pouquinhos. Há três dias aumentei a dosagem para 150, pois estava tomando 125 e os níveis hormonais ainda estavam baixos. Gostaria de saber se isto tudo que sinto é normal. (Mônica)

Resposta da Dra. Glaucia Mazeto: Muitos dos sintomas descritos poderiam ser devidos ao hipotireoidismo, e podem demorar a passar, mesmo após a introdução da levotiroxina. Depois de cerca de 6 a 8 semanas da introdução da dose de 150 microgramas, o exame de dosagem de hormônios da tireóide no sangue poderia ser repetido, para ver se a dose do remédio está adequada.  

Probalidades 
Qual a possibilidade de, após confirmado pelo PAAF, o bócio coloide (tamanho do nódulo de mais de 4 cm) transformar-se em neoplasia maligna - caso este paciente não realize a cirurgia? Deve-se realmente realizar cirurgia ou apenas acompanhamento clínico? (William)

Resposta da Dra. Glaucia Mazeto: A chance de “transformação maligna” não é grande. Porém, como o nódulo é bastante volumoso, pode ser que a PAAF não obtenha material representativo de toda sua área. Além disso, trata-se de nódulo de grande dimensões, que dificilmente regredirá de volume, principalmente se for sólido. Assim, se o paciente tiver condições de submeter-se a cirurgia, o ideal seria sua retirada. 

Hipótese de Tumor
Há pouco mais de um ano, apareceu um nódulo na minha garganta. Fui à procura de médico, já fiz vários exames, e agora tenho a minha biópsia em mãos: o diagnóstico foi de hipótese de tumor folicular.  Já consultei vários sites para ver o que é, e sempre diz que é maligno, mas a minha médica disse que não sabemos o que é. Só depois de uma cirurgia, e analisado o nódulo, podemos saber se é maligno ou benigno, porém sempre acho que ela está a me esconder alguma coisa... (Lorena)
 
Resposta da Dra. Glaucia Mazeto: Quando a análise citológica do material obtido por punção aspirativa por agulha fina da tireóide, vem compatível com “Tumor folicular”, realmente, ainda não é possível diferenciar entre lesão benigna e maligna. A melhor forma disponível para fazer este diagnóstico diferencial é por meio da cirurgia.

imprimaImprima     envieEnvie por Email       Compartilhe: Delicious Delicious  google Google

Tópicos Relacionados

Para Público perguntas respostas tireoide cistos

Topo Volta  © 2010 Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia - SBEM