SBEM
Departamento de Tireóide

Departamento de Tireoide
da Sociedade Brasileira
de Endocrinologia e Metabologia

Destaques

Os Atletas e as DisfunçõesTireoidianas

Em ano de Copa do Mundo os olhares de diversas pessoas no planeta estão voltados para diversos jogadores em nosso país. Contudo, bate a dúvida: será que atetlas com disfunções tireoidianas podem participar de competições? O Dr. Mario Vaisman fala sobre o assunto e revela alguns mitos. Confira o vídeo. 

Leia Mais

Notícias

Dia 25 de Maio é o Dia Internacional da Tireoide

Presidente do Departamento de Tireoide, Dra. Carmem Cabanelas, envia mensagem pelo Dia Internacional da Tireoide. O Departamento realizou diversas ações este ano, incluindo as redes sociais, como Facebook e Youtube.

Leia Mais

Para Público

Disciplina Controla Hipotireoidismo

Melq Ferreira é preparador físico de atletas de surf e personal trainer, na cidade de Fortaleza (CE). Ele tem 41 anos e descobriu um bócio nodular na tireoide, aos 20. Na época, submeteu-se à cirurgia para retirada do bócio e, desde então, segue o tratamento para o hipotireoidismo.

Leia Mais

Para Público

Vencendo o Câncer na Tireoide

Com apenas 12 anos, a nadadora do juvenil do Flamengo, Giovanna Pannain, foi vitíma de um Câncer na Tireoide. Através de uma cirurgia, tratamentos e força de vonta a jovem superou a fase e é exemplo de esforço e persitência. Confira a matéria. 

Leia Mais

Notícias

Dia Internacional da Tireoide

O dia 25 de maio é o “Dia Internacional da Tireoide”. Desde 2009 são organizadas campanhas informativas, por diferentes sociedades médicas e não médicas, com o objetivo de orientar pacientes e familiares sobre as doenças tireoidianas. A campanha nacional deste ano, escolhida pelo Departamento de Tireoide da SBEM, tem como tema Tireoide e Esportes. Folhetos, vídeos e mensagens sobre o tema estão sendo publicados nas redes sociais.

Leia Mais

Eventos

<      >

Notícias

05/03/2009 Hipertireoidismo em Evidência

Por Sandra Malafaia

Uma das participantes do programa Big Brother Brasil 9 – o reality show da Rede Globo de Televisão – parou de dançar na festa, ocorrida no último dia 4 de março, queixando-se de problemas de saúde. Maíra disse estar com taquicardia, devido ao hipertireoidismo.

Conversando com Flávio, outro integrante do reality show, Maíra mostrou seu pescoço, dizendo que estava com “um calombo na garganta, um calor interno muito grande” e que já havia perdido 5 kg. “Nem vou pedir médico porque eu sei que é por causa da tireóide. Eu tenho hipertireoidismo”, afirmou.

Flávio, então, perguntou: “Ué, mas a tireóide não engorda?”, ao que Maíra respondeu: “A fraca sim, mas a que eu tenho, a forte, que dá taquicardia, emagrece. Por isso estou preocupada, porque dá taquicardia. Na primeira prova de resistência que eu tiver taquicardia, eu morro!”, comentou.

O diálogo dos dois integrantes do Big Brother Brasil 9 mostra a certa confusão do público quanto às disfunções da tireóide e vai ao encontro da reportagem, já publicada aqui no site do Departamento de Tireóide de SBEM, sob o título “Não Consigo Emagrecer: a Culpa É da Tireóide?

Fraca ou Forte

Quando Maíra respondeu a Flávio que a tireóide “fraca” é a que engorda e que a “forte” é que emagrece, a participante do Big Brother se referiu ao hipotireoidismo e ao hipertireoidismo, respectivamente. Porém, essa não é a maneira correta de se definir esses problemas.

O hipotireoidismo (ao qual Maíra definiu como o fraco) também causa aumento de volume da tireóide. Mas isso não se deve à maior produção dos hormônios tireoidianos e, sim, pela queda na produção dos hormônios T3 e T4. Seus principais sintomas são: depressão, desaceleração dos batimentos cardíacos, intestino preso, menstruação irregular, diminuição da memória, cansaço excessivo, dores musculares, sonolência excessiva, pele seca, queda de cabelo, ganho de peso e aumento de colesterol no sangue.

Já o hipertireoidismo (que a jogadora afirma ter e que é forte) ocorre quando há uma produção excessiva dos hormônios da tireóide (T3 e T4). Em sua forma mais amena, não apresenta sintomas facilmente diagnosticáveis. No entanto, em seu aspecto mais grave, pode até matar. Também há risco da disfunção afetar a gravidez ou a fertilidade feminina, entre outros problemas.

Os principais sintomas do hipertireoidismo são: aceleração dos batimentos cardíacos acima de 100 por minuto (taquicardia); irregularidade no ritmo cardíaco; nervosismo, ansiedade e irritação; mãos trêmulas e sudoreicas; perda de apetite; intolerância a temperaturas quentes; queda de cabelo e/ou fraqueza do couro cabeludo; rápido crescimento das unhas, com tendência à descamação das mesmas; fraqueza nos músculos; intestino solto; perda de peso importante; alterações no período menstrual; aumento da probabilidade de aborto; olhar fixo; protusão dos olhos; e acelerada perda de cálcio nos ossos.

Saiba mais sobre Hipotireoidismo e Hipertireoidismo.

imprimaImprima     envieEnvie por Email       Compartilhe: Delicious Delicious  google Google

Tópicos Relacionados

notícias hipertireoidismo tireóide emagrecer

Opiniões dos Leitores

Topo Volta  © 2010 Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia - SBEM