Notícias

05/03/2009 Hipertireoidismo em Evidência

Por Sandra Malafaia

Uma das participantes do programa Big Brother Brasil 9 – o reality show da Rede Globo de Televisão – parou de dançar na festa, ocorrida no último dia 4 de março, queixando-se de problemas de saúde. Maíra disse estar com taquicardia, devido ao hipertireoidismo.

Conversando com Flávio, outro integrante do reality show, Maíra mostrou seu pescoço, dizendo que estava com “um calombo na garganta, um calor interno muito grande” e que já havia perdido 5 kg. “Nem vou pedir médico porque eu sei que é por causa da tireoide. Eu tenho hipertireoidismo”, afirmou.

Flávio, então, perguntou: “Ué, mas a tireoide não engorda?”, ao que Maíra respondeu: “A fraca sim, mas a que eu tenho, a forte, que dá taquicardia, emagrece. Por isso estou preocupada, porque dá taquicardia. Na primeira prova de resistência que eu tiver taquicardia, eu morro!”, comentou.

O diálogo dos dois integrantes do Big Brother Brasil 9 mostra a certa confusão do público quanto às disfunções da tireoide e vai ao encontro da reportagem, já publicada aqui no site do Departamento de Tireóide de SBEM, sob o título “Não Consigo Emagrecer: a Culpa É da Tireoide?

Fraca ou Forte

Quando Maíra respondeu a Flávio que a tireoide “fraca” é a que engorda e que a “forte” é que emagrece, a participante do Big Brother se referiu ao hipotireoidismo e ao hipertireoidismo, respectivamente. Porém, essa não é a maneira correta de se definir esses problemas.

O hipotireoidismo (ao qual Maíra definiu como o fraco) também causa aumento de volume da tireoide. Mas isso não se deve à maior produção dos hormônios tireoidianos e, sim, pela queda na produção dos hormônios T3 e T4. Seus principais sintomas são: depressão, desaceleração dos batimentos cardíacos, intestino preso, menstruação irregular, diminuição da memória, cansaço excessivo, dores musculares, sonolência excessiva, pele seca, queda de cabelo, ganho de peso e aumento de colesterol no sangue.

Já o hipertireoidismo (que a jogadora afirma ter e que é forte) ocorre quando há uma produção excessiva dos hormônios da tireoide (T3 e T4). Em sua forma mais amena, não apresenta sintomas facilmente diagnosticáveis. No entanto, em seu aspecto mais grave, pode até matar. Também há risco da disfunção afetar a gravidez ou a fertilidade feminina, entre outros problemas.

Os principais sintomas do hipertireoidismo são: aceleração dos batimentos cardíacos acima de 100 por minuto (taquicardia); irregularidade no ritmo cardíaco; nervosismo, ansiedade e irritação; mãos trêmulas e sudoreicas; perda de apetite; intolerância a temperaturas quentes; queda de cabelo e/ou fraqueza do couro cabeludo; rápido crescimento das unhas, com tendência à descamação das mesmas; fraqueza nos músculos; intestino solto; perda de peso importante; alterações no período menstrual; aumento da probabilidade de aborto; olhar fixo; protusão dos olhos; e acelerada perda de cálcio nos ossos.

Saiba mais sobre Hipotireoidismo e Hipertireoidismo.

imprimaImprima     envieEnvie por Email       Compartilhe: Delicious Delicious  google Google

Tópicos Relacionados

notícias hipertireoidismo tireóide emagrecer

Opiniões dos Leitores

Notícias

Dia do Endocrinologista: Audiência Pública

O dia 22 de novembro foi uma data importante para a SBEM em 2016. Nesta terça-feira foi realizada a Audiência Pública, em Brasília, para apresentar as propostas finais de criação do Dia Nacional do Endocrinologista. A reunião aconteceu no Plenário 7 do Anexo II, da Câmara dos Deputados, na sessão da Comissão de Seguridade Social e Família. O primeiro passo para uma conquista.

Leia Mais

Notícias

Cerimônia de Posse da SBEM

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia realizou a cerimônia de posse da nova diretoria, que assume a entidade a partir de 1 de janeiro de 2017. A atividade contou com a presença dos novos gestores e convidados e aconteceu em São Paulo e reuniu cerca de 150 convidados no Hotel Hilton Morumbi.

Leia Mais

Notícias

Webmeeting Aborda Síndrome do T3 Baixo

O último webmeeting da SBEM, que aconteceu dia 25/10, abordou o tema “Controle Fino do Metabolismo – Como doenças graves e alimentação podem afetá-lo”.  A Dra. Ana Luiza Maia, membro do Departamento de Tireoide da SBEM foi uma das responsáveis pela atividade. 

Leia Mais